Workshop de aprendizagem lúdica “LEGO® 6 Bricks” reuniu professores em Caxias

Mais de uma dezena de professores do ensino pré-escolar, infantários e 1.º ciclo esteve presente no workshop “LEGO® 6 Bricks” que a JumpUp Learning realizou no Agrupamento de Escolas de São Bruno, em Caxias, a 4 de setembro.

O ponto de partida do workshop foi a redefinição da palavra “brincar”. Num sistema de ensino fechado, onde não se proporcionem momentos de brincadeira, é impossível as crianças aprenderem; apenas memorizam, o que é diferente, e não se traduz em conhecimento efetivo.

como se apresentaria num boneco? este foi um dos desafios lançados aos participantes

como se apresentaria num boneco? este foi um dos desafios lançados aos participantes

Tendo os presentes redefinido “brincar” como o ato de explorar, perder noção do tempo, ter permissão e liberdade para construir e falhar, as três horas de formação foram compostas por atividades divertidas e de curta duração, com conjuntos de peças LEGO® DUPLO® em seis cores vibrantes, facilmente aplicáveis em sala de aula para crianças de várias idades e diferentes níveis de aprendizagem.

Na Fundação LEGO existem, contudo, regras, como haver um propósito na brincadeira e um envolvimento do aluno, que tem de experimentar fazer tarefas e não apenas ouvir como se fazem, além de uma forte componente social (de interação com os outros).

No workshop “LEGO® 6 Bricks” as crianças podem exercitar a memória, praticar movimentos novos, explorar a sua criatividade e muito mais, tudo porque o sistema permite assimilar conteúdos e situações complexas, através de brincadeiras simples. O trabalho de equipa esteve sempre presente e, mais uma vez, o “desafio do pato” comprovou que, quando têm a oportunidade de dar respostas abertas, os alunos são muito mais criativos e sentem-se mais estimulados por não terem respostas erradas.

No final, todos concordaram que a memória, bem como as capacidades físicas e intelectuais das crianças, sai reforçada com os desafios propostos, quer na literacia, quer na numerologia.

Aqui ficam alguns testemunhos do workshop de segunda-feira, 4 de setembro:

Miriam Cunha - “Gostei muito. Só tinha experiências com LEGO enquanto mãe. Chegámos a usar na sala de aula mas não com estas diretrizes todas que aprendemos aqui. Foi um workshop muito hands-on, amanhã já posso implementar. Saio daqui cheia de ideias!”

José Guerreiro - “É um modo de trabalhar muito eficiente, muito prático. Apesar de ser simples, podemos trabalhá-lo e usá-lo no contexto das ciências, da matemática e relações interpessoais, ou seja, para pôr em prática muitos exercícios e conhecimentos com as crianças”.

Maria Miranda - “A formação focou-se no essencial: dar voz às crianças e fez com que nós, adultos, pensássemos como as crianças gostariam que pensássemos, ou seja, que há mais que uma solução para o problema. Foi interessante e motivador”.

Filomena Miguel - “Foi muito interessante. Sou grande defensora do conceito de aprender a brincar e acho que a LEGO se encaixa nesse mesmo conceito. Vou ver se consigo passar a mensagem de hoje aos meus colegas e tentar que haja mais a pensarem como eu”.

Bruno Lavos - “Estar presente neste workshop foi muito bom porque cada vez é mais importante nesta sociedade o brincar. Muitas das características que a sociedade está a perder agora é por não termos a coragem de brincar mais. Vamos brincar, por favor!”

Afonso Pessanha - “Adorei o workshop. Identifico-me com tudo isto e, sobretudo, com o aprender a brincar, é muito importante. O que vejo no brincar é a oportunidade de falhar, de tentar outra vez, porque temos uma mão muito pesada sobre o falhar; nunca podemos falhar, nunca podemos fazer asneira, temos que estar sérios… Acho que todos lucraríamos na vida profissional e pessoal se tivéssemos uma nova conceção do brincar. ‘Bora brincar?”

o desafio do pato permite uma infinidade de respostas certas possíveis

o desafio do pato permite uma infinidade de respostas certas possíveis

Helena Rodrigues - “Gostei muito deste workshop. Já dou aulas há 20 anos e estas formações trazem-nos sempre ideias para que as aulas não sejam tão sérias. Os miúdos estão a mudar e temos sempre que renovar”.

Natividade Coutinho - “Adorei estar aqui hoje. Já brincava com os meus netos e fazer estas atividades deu-me imensas ideias”.

Conceição Aleixo - “Foi mesmo o que eu estava à espera. Gosto imenso de trabalhar com LEGO e o que faço é muito intuitivo. Já conhecia algumas das atividades da LEGO, pela Internet, e estava cheia de vontade de ter uma sessão aqui na escola. Felizmente aconteceu, foi ótimo, também gostei muito grupo. Balanço: 5 estrelas!”

Rita Alves - “Foi mesmo ao encontro do que eu estava à espera e daquilo que eu acho que deve ser o modelo dentro de uma escola e que é material não formal, que dá uso à criatividade e, principalmente, à resolução de problemas, uma das skills mais pretendidas até 2030. Ainda bem que isto existe agora porque, há alguns anos, era difícil o acesso à LEGO e é uma empresa muito boa”.

Para ter um workshop LEGO 6 Bricks na sua escola siga este link.

Para saber mais sobre outras propostas subscreva a nossa newsletter.