Workshop de aprendizagem lúdica “LEGO® 6 Bricks” reuniu professores em Caxias

Mais de uma dezena de professores do ensino pré-escolar, infantários e 1.º ciclo esteve presente no workshop “LEGO® 6 Bricks” que a JumpUp Learning realizou no Agrupamento de Escolas de São Bruno, em Caxias, a 4 de setembro.

O ponto de partida do workshop foi a redefinição da palavra “brincar”. Num sistema de ensino fechado, onde não se proporcionem momentos de brincadeira, é impossível as crianças aprenderem; apenas memorizam, o que é diferente, e não se traduz em conhecimento efetivo.

como se apresentaria num boneco? este foi um dos desafios lançados aos participantes

como se apresentaria num boneco? este foi um dos desafios lançados aos participantes

Tendo os presentes redefinido “brincar” como o ato de explorar, perder noção do tempo, ter permissão e liberdade para construir e falhar, as três horas de formação foram compostas por atividades divertidas e de curta duração, com conjuntos de peças LEGO® DUPLO® em seis cores vibrantes, facilmente aplicáveis em sala de aula para crianças de várias idades e diferentes níveis de aprendizagem.

Na Fundação LEGO existem, contudo, regras, como haver um propósito na brincadeira e um envolvimento do aluno, que tem de experimentar fazer tarefas e não apenas ouvir como se fazem, além de uma forte componente social (de interação com os outros).

No workshop “LEGO® 6 Bricks” as crianças podem exercitar a memória, praticar movimentos novos, explorar a sua criatividade e muito mais, tudo porque o sistema permite assimilar conteúdos e situações complexas, através de brincadeiras simples. O trabalho de equipa esteve sempre presente e, mais uma vez, o “desafio do pato” comprovou que, quando têm a oportunidade de dar respostas abertas, os alunos são muito mais criativos e sentem-se mais estimulados por não terem respostas erradas.

No final, todos concordaram que a memória, bem como as capacidades físicas e intelectuais das crianças, sai reforçada com os desafios propostos, quer na literacia, quer na numerologia.

Aqui ficam alguns testemunhos do workshop de segunda-feira, 4 de setembro:

Miriam Cunha - “Gostei muito. Só tinha experiências com LEGO enquanto mãe. Chegámos a usar na sala de aula mas não com estas diretrizes todas que aprendemos aqui. Foi um workshop muito hands-on, amanhã já posso implementar. Saio daqui cheia de ideias!”

José Guerreiro - “É um modo de trabalhar muito eficiente, muito prático. Apesar de ser simples, podemos trabalhá-lo e usá-lo no contexto das ciências, da matemática e relações interpessoais, ou seja, para pôr em prática muitos exercícios e conhecimentos com as crianças”.

Maria Miranda - “A formação focou-se no essencial: dar voz às crianças e fez com que nós, adultos, pensássemos como as crianças gostariam que pensássemos, ou seja, que há mais que uma solução para o problema. Foi interessante e motivador”.

Filomena Miguel - “Foi muito interessante. Sou grande defensora do conceito de aprender a brincar e acho que a LEGO se encaixa nesse mesmo conceito. Vou ver se consigo passar a mensagem de hoje aos meus colegas e tentar que haja mais a pensarem como eu”.

Bruno Lavos - “Estar presente neste workshop foi muito bom porque cada vez é mais importante nesta sociedade o brincar. Muitas das características que a sociedade está a perder agora é por não termos a coragem de brincar mais. Vamos brincar, por favor!”

Afonso Pessanha - “Adorei o workshop. Identifico-me com tudo isto e, sobretudo, com o aprender a brincar, é muito importante. O que vejo no brincar é a oportunidade de falhar, de tentar outra vez, porque temos uma mão muito pesada sobre o falhar; nunca podemos falhar, nunca podemos fazer asneira, temos que estar sérios… Acho que todos lucraríamos na vida profissional e pessoal se tivéssemos uma nova conceção do brincar. ‘Bora brincar?”

o desafio do pato permite uma infinidade de respostas certas possíveis

o desafio do pato permite uma infinidade de respostas certas possíveis

Helena Rodrigues - “Gostei muito deste workshop. Já dou aulas há 20 anos e estas formações trazem-nos sempre ideias para que as aulas não sejam tão sérias. Os miúdos estão a mudar e temos sempre que renovar”.

Natividade Coutinho - “Adorei estar aqui hoje. Já brincava com os meus netos e fazer estas atividades deu-me imensas ideias”.

Conceição Aleixo - “Foi mesmo o que eu estava à espera. Gosto imenso de trabalhar com LEGO e o que faço é muito intuitivo. Já conhecia algumas das atividades da LEGO, pela Internet, e estava cheia de vontade de ter uma sessão aqui na escola. Felizmente aconteceu, foi ótimo, também gostei muito grupo. Balanço: 5 estrelas!”

Rita Alves - “Foi mesmo ao encontro do que eu estava à espera e daquilo que eu acho que deve ser o modelo dentro de uma escola e que é material não formal, que dá uso à criatividade e, principalmente, à resolução de problemas, uma das skills mais pretendidas até 2030. Ainda bem que isto existe agora porque, há alguns anos, era difícil o acesso à LEGO e é uma empresa muito boa”.

Para ter um workshop LEGO 6 Bricks na sua escola siga este link.

Para saber mais sobre outras propostas subscreva a nossa newsletter.

Conheça os vencedores do Torneio Nacional da FIRST® LEGO® League

 

O Torneio Nacional da FIRST ® LEGO® League em Portugal realizou-se no passado sábado, 27 de maio, no Instituto Superior Técnico - Campus TagusPark, em Porto Salvo, Oeiras.

O tema deste ano foi “Animal Allies” e as equipas tiveram de encontrar a solução para os diversos obstáculos que encontraram na relação animais/pessoas através da conceção, design e construção de robôs.

Participaram 13 equipas de norte a sul do país e ainda uma vinda dos Açores, num total de mais de uma centena de crianças e jovens.

No Desempenho Robótico (as missões), o terceiro prémio foi para a equipa ESAS 2, o segundo para a Regulus Regulus Sanctae Mariae e o primeiro prémio foi para a equipa ROBO-T. Na categoria Valores FLL: Inspiração, ganharam ESAS 1 (primeiro prémio) e ESAS 2 (segundo prémio). Em Valores FLL: Trabalho de Equipa, venceu a equipa Lampadinhas e no tão falado e promovido Valores FLL: Profissionalismo Gracioso, venceu a equipa Robot Ajuda!. Já em Robot Design: Programação, o prémio foi para Os Eletrão, enquanto no Robot Design: Desenho Mecânico, o segundo prémio foi para os CBR59 e o primeiro lugar foi para AOutraEquipa. Na Categoria Projeto Cientifico: Pesquisa, a distinção foi para os CAISL Techno Wolves, no Projeto Cientifico: Solução Inovadora, para os PEANUTS e no Projeto Cientifico: Apresentação, o segundo prémio foi para os SBJ-LEGO e o primeiro lugar foi para os Bombastic. O troféu Campeões foi para a equipa Regulus Regulus Sanctae Mariae, dos Açores.

A FIRST - For Inspiration and Recognition of Science and Technology - LEGO®  League é um programa para jovens dos nove aos dezasseis anos, que pretende entusiasmá-los para as ciências, engenharias e tecnologias. Os desafios são sempre num espírito de competição amigável e aprendizagem em que a entreajuda é o grande pilar do trabalho em equipa.

A edição de 2017 da FLL contou com o apoio da JumpUp.pt, Portugal Didáctico, Instituto Superior Técnico de Lisboa, Sumol + Compal, ANPRI - Associação Nacional de Professores de Informática e Nobrinde.

Entretanto, já é conhecido o tema da próxima temporada da FIRST LEGO® League e FIRST LEGO® League Jr. No próximo ano, as equipas de crianças e jovens alunos vão ter de mergulhar em questões relacionadas com água: para 2017-2018 a FIRST LEGO League vai dedicar-se ao tema HYDRO DYNAMICS℠ e a FIRST LEGO League Jr. ao AQUA ADVENTURE℠.

FLL 2017

FLL 2017

FLL 2017 - entrega de prémios

FLL 2017 - entrega de prémios

Guia de instalação do WeDo 2.0 em Windows

A LEGO® disponibilizou o guia de instalação do software WeDo 2.0 em Windows. O guia destina-se a administradores de instalação de redes de TI que pretendam instalar o software em vários dispositivos.

O processo de instalação do WeDo 2.0 Windows pode ser feito através de parâmetros da linha de comandos.

Aqui fica um exemplo dos parâmetros típicos necessários para a instalação:

WeDo2_Full-WinDesktop-GLOBAL-1-5-XX.exe / VERYSILENT / SUPPRESSMSGBOXES / NORESTART

Neste link encontra mais detalhes de parâmetros: http://www.jrsoftware.org/ishelp/index.php?topic=setupcmdline

Descarregue aqui o Windows Network Installer.

FIRST LEGO® League e FIRST LEGO® League Jr. apresentam… Splashy Themes

Já é conhecido o tema da próxima temporada da FIRST LEGO® League e FIRST LEGO® League Jr. No próximo ano, as equipas de crianças e jovens alunos vão ter de mergulhar em questões relacionadas com água. 

Para 2017-2018 a FIRST LEGO League vai dedicar-se ao tema HYDRO DYNAMICS℠ e a FIRST LEGO League Jr. ao AQUA ADVENTURE℠.

De recordar que o processo de desenvolvimento dos temas começa quase três anos antes de os desafios serem revelados.

Em primeiro lugar, a equipa de criativos da FIRST LEGO League reúne ideias e sugestões de temas de treinadores e alunos, voluntários, parceiros e outros contributos. Depois, são avaliados três ou quatro tópicos seguindo um conjunto de 12 critérios, como por exemplo, se o tema é global, acessível às crianças e impactante. A partir daí, o tema é selecionado e avança-se para o passo seguinte: dois anos e meio de trabalho para desenvolver os desafios.

«Este tema está fortemente relacionado com as nossas próprias vidas», diz Marijn Delhez, Gerente de Marketing Internacional da LEGO. «Muitas vezes temos por garantia que temos água a correr nas nossas torneiras, mas antes deste desafio nunca tinha prestado a devida atenção a todo o processo que está por detrás», acrescenta.

Depois de selecionado o tema, a equipa faz pesquisas internas, entrevista especialistas na matéria e realiza pesquisa de campo para desenvolver projetos e modelos para o desafio. Este processo já é, de certa forma, familiar aos alunos da FIRST LEGO League. «Ao estudarmos juntos o desafio de cada ano, estamos, basicamente, a embarcar na versão adulta da FIRST LEGO League porque estamos a estudar o problema e a pensar como queremos que as crianças o resolvam», descreve Jen O’Callaghan, FIRST LEGO League Engagement Manager.

A FIRST - For Inspiration and Recognition of Science and Technology - LEGO League é um programa interdisciplinar para jovens dos 9 aos 16 anos, que pretende entusiasmá-los para as ciências, engenharias e tecnologias. Os desafios são sempre num espírito de competição amigável e aprendizagem em que a entreajuda é o grande pilar do trabalho em equipa.

O programa anual da FIRST culmina, em Portugal, num desafio que, em 2017, se vai realizar a 27 de maio no Instituto Superior Técnico - Campus TagusPark, em Porto Salvo, Oeiras.

LEGO® Education Academy na Madeira

Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura assina protocolo com a JumpUp Learning

A JumpUp Learning, empresa que representa a LEGO® Education Academy em Portugal, esteve na passada sexta-feira, dia 10, na Madeira, para assinar um protocolo com a Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura. A parceria pretende assegurar o projeto sobre robótica intitulado "Brava Valley".

O futuro “Playground de Tecnologia & Robótica”, criado no âmbito do projeto, é apoiado pela LEGO Education Academy. O protocolo de cooperação foi assinado precisamente no dia em que arrancou a primeira atividade "RobôBrava - Programação e Robótica" que já contava com o apoio da ARABOT Lda., distribuidor oficial da LEGO Education para Portugal.

O objetivo da Direcção Regional da Inovação, Valorização e Empreendedorismo é incentivar os jovens a tornarem-se cada vez mais próximos dos ambientes tecnológicos, aumentar a aprendizagem criativa e exercitar a relação entre idealização e concretização de projetos de robótica.

A região da Madeira vai, também, passar a ter a LEGO Education Academy, o LEGO Education System of Learning e um LEGO Education Innovation Studio - um espaço onde os alunos têm uma experiência de aprendizagem diferente, independentemente do nível de ensino onde estejam, que lhes permite ter uma experiência em áreas como a computação, ciência, engenharia, tecnologia e matemática.

Noah Revoy, gerente da JumpUp Learning, acredita que a "RobôBrava" «vai mudar a vida destes jovens». O evento, que inicialmente devia decorrer apenas na sexta-feira, acabou por ter nova edição no sábado e no domingo devido à elevada procura. 

Eduardo Jesus, Secretário Regional da Economia, Turismo e Cultura, acredita que o protocolo assinado com a JumpUp Learning é «fundamental para afirmar a Ribeira Brava como a terra da tecnologia».

A "RobôBrava - Programação e Robótica" é uma iniciativa da Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura, através da Direção Regional da Inovação, Valorização e Empreendedorismo, em parceria com a Câmara Municipal da Ribeira Brava, Grupo XIS e ARABOT HI-FI (LEGO Education Official Distribuidor for Portugal) que visa promover eventos de robótica e programação informática junto de crianças e estudantes em todos os municípios da região da Madeira.

Noah Revoy leva a lego education academy à madeira

Noah Revoy leva a lego education academy à madeira

FLL na apresentação do cluster de robótica da Câmara Municipal de Lisboa

A FIRST® LEGO® League (FLL) esteve na passada sexta-feira, 24 de fevereiro, na Lispolis, onde a Câmara Municipal de Lisboa, juntamente com o Instituto Superior Técnico e a Sociedade Portuguesa de Robótica, lançou a iniciativa de constituição de um cluster empresarial, o Lisboa Robotics, em torno do segmento da robótica. O núcleo congrega, por enquanto, cerca de 15 empresas.

O objectivo inicial das entidades é conseguir federar no cluster o conjunto de agentes ativos na cidade onde a FLL acredita encaixar-se.

De recordar que o IST (Universidade de Lisboa) tem três institutos que desenvolvem investigação nesta área do conhecimento: o ISR, o IDMEC (engenharia mecânica) e o INESC-ID (engenharia de sistemas e computadores).

Os responsáveis manifestaram, durante a apresentação, o receio do potencial desta comunidade ser ameaçada pela intermitência de colaboração entre as empresas nacionais, além das limitações de ordem ética, regulamentar e societal. No âmbito da apresentação do programa ficou a saber-se que a autarquia vai facultar maior apoio logístico para a efetivação deste cluster, nomeadamente na criação de hotspots para experimentação de equipamentos de robótica desenvolvidos na capital. «A robótica saiu da área industrial e está a invadir o espaço público», afirmou Paulo Soeiro Carvalho, diretor municipal de Economia e Inovação.

Apesar de ser necessário haver sinergias para o cluster arrancar e crescer, o interesse de instituições de ensino superior em participar, apresenta-se como um ponto forte.

O objetivo principal da criação do cluster é projetar Lisboa e Portugal no mercado mundial do da indústria e dos centros de investigação científica de robótica.
 

Robôs interagiram com os participantes